Especial Artesanato Brasileiro - Parte I

11 de julho, 2018

comentários
Uma das maneiras mais incríveis de se expressar cultura com arte é por meio do artesanato. No Brasil existem diferentes estilos de artesanatos, cada um com uma história diferente. E para conhecer um pouquinho mais do artesanato brasileiro, reunimos algumas curiosidades e informações históricas sobre essa riquíssima cultura. Conheça tudo isso mais a fundo nesse post que será dividido em dois: parte 1 e parte 2. Acompanhe os posts, no final você vai poder conferir uma surpresa da Condor! Boa leitura!

O artesanato brasileiro é um dos mais ricos do mundo e garante o sustento de muitas famílias e comunidades, pela sua variedade e representação folclórica, revelando usos, costumes, tradições e características de cada região. O artesanato começou com o próprio homem, um ser que sempre teve a necessidade de confeccionar objetos para o próprio uso. Segundo estudos, os primeiros artesãos surgiram ainda no período neolítico (6.000 a.C) - quando o homem aprendeu a polir a pedra, a fabricar cerâmica e a tecer fibras animais e vegetais. No Brasil, podemos pensar nos índios como os nossos mais antigos artesãos, já que, quando os portugueses descobriram o Brasil, encontraram os índios utilizando pigmentos naturais para tingir seus trabalhos de tecelagem e cerâmica, bem como instrumentos musicais, a cestaria e a cerâmica - sem falar na arte plumária, isto é, cocares, tangas e outras peças de vestuário ou ornamentos feitos com plumas de aves.

O artesanato também possui seus gêneros, como o erudito, o popular e o folclórico, utilizando-se de variadas técnicas e materiais como: cerâmica, funilaria, trabalhos em couro e chifre, trançados e tecidos de fibras vegetais e animais, tintura, trabalhos com a farinha de mandioca, monjolo de pé de água, engenhocas, madeira, barro, argila, pedra, comida como a farinha de mandioca e o miolo de pão, massa de açúcar e o milho. Os trabalhos variam de bijuterias às colchas, de bolsas às esculturas em madeira, de renda à cerâmica, de pinturas à utilitários domésticos.

Antes de falar dos mais famosos tipos de artesanatos brasileiros, não podemos esquecer de te apresentar a peça chave para isso tudo, “o artesão”, ele é aquela pessoa que através da sua criatividade e habilidade, produz peças de barro, palha, tecido, couro, madeira, papel ou fibras naturais, matérias brutas ou recicladas, visando produzir peças utilitárias ou artísticas, com ou sem uma finalidade comercial. Ele trabalha sozinho ou com assistentes e tanto pode fazer peças únicas como trabalhos em série, contando ou não com a ajuda de ferramentas e mecanismos rudimentares ou semi-industriais.

DESENVOLVIMENTO

O artesanato, apesar de ser comercializado, não é considerado uma mercadoria, pois carrega valores, crenças e culturas. Em cada parte do mundo, existem diferentes modos e formas de se produzir o artesanato. No Brasil, cada região mantém seu estilo e sua técnica específica. De Norte a Sul, de Leste a Oeste, podemos verificar uma imensa variedade no artesanato brasileiro, por causa de nossa vasta e rica diversidade cultural. Segue abaixo alguns dos típicos artesanatos brasileiros:


Artesanato em cerâmica e em barro é um artesanato tradicional que tem origem cultural, que foi passado de pai para filho ou de mestre para aluno. Você certamente já deve ter encontrado bonecas de barro inspiradas em cangaceiros, baianas, personagens históricos e religiosos e recipientes de cerâmica em feirinhas da região Nordeste, onde este tipo de artesanato é uma herança cultural. A Condor possui uma linha de pincéis para pintura em cerâmica e as referências são: 4415 e 4416.

A cerâmica é uma das formas de arte popular e de artesanato mais desenvolvidas no Brasil. Dividida entre cerâmica utilitária e figurativa, essa arte feita pelos índios misturou-se depois à tradição barrista europeia, e aos padrões africanos, e desenvolveu-se em regiões propícias à extração de sua matéria-prima - o barro. Nas feiras e mercados do Nordeste, podem-se ver os bonecos de barro que reconstituem figuras típicas da região: cangaceiros, retirantes, vendedores, músicos e rendeiras. Os mais famosos são os do pernambucano Mestre Vitalino (1909-1963), que deixou dezenas de descendentes e discípulos.

A cerâmica figurativa destaca-se também nos estados do Pará, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, São Paulo e Santa Catarina. Nos demais estados, a cerâmica é mais do tipo utilitária (potes, panelas, vasos etc). E não podemos esquecer de falar dos divertidos e coloridos bonecos de barro de Caruaru em Pernambuco! Estes tipos de artesanatos são mais populares nas regiões Norte e Nordeste, onde se é mais fácil ser encontrada e extraída como é o caso do barro e argila. É a arte popular e de artesanato mais desenvolvidas no Brasil e desenvolveu-se em regiões propícias à extração de sua matéria prima - o barro. Nas feiras e mercados do Nordeste, se encontram os bonecos de barro, reconstituindo figuras típicas da região, como os cangaceiros, retirantes, vendedores, músicos e rendeiras.


A renda, presente em roupas, lenços, toalhas e outros artigos, têm um importante papel econômico nas regiões Norte, Nordeste e Sul. A chamada renda de almofada ou de bilros é desenvolvida pelas mãos das rendeiras que trabalham com uma almofada, um papelão cheio de furos, linha e bilros (pequenas peças de madeira semelhantes a fusos).

Trazida pelos portugueses e pelos colonos açorianos, esta técnica é um trabalho tradicional de vários pontos do litoral brasileiro. Os papelões são passados de geração a geração e alguns motivos são exclusivos de uma família. Apesar de a renda não ser um produto originalmente brasileiro, tornou-se um produto local através da aculturação.

Muitas rendeiras tiram seu sustento com a renda, pois com ela pode ser feito lenços, roupas, toalhas, colchas, capas de sofá, redes e fronhas e diversos trabalhos lindos. Como todo trabalho feito a mão, exige paciência e atenção mas, o resultado é excelente.


A produção de entalhes em madeira é outra manifestação da cultura material brasileira, utilizada pelos índios nas suas construções, armas e utensílios, embarcações e instrumentos musicais, máscaras e bonecos. A arte e o artesanato em madeira produzem objetos diversificados com motivos como a natureza, o universo humano e a fantasia.

Muitas pessoas desinformadas, alegam que o artesanato em madeira ou entalhando madeira não é uma atividade cultura, porém ele é sim! Pois teve início com os índios, no estado do Piauí por exemplo a arte santeira, ou seja, a arte de fazer esculturas de santos em madeira é patrimônio cultural pois a prática deste artesanato é centenária. Mas, claro que não é só a arte santeira que é produzida com artesanato em madeira, é uma área onde se produzem objetos diversificados com inspirações na natureza, painéis decorativos, móveis e utensílios.

As carrancas, ou cabeças-de-proa, muito conhecidas no Rio São Francisco, são figuras reais ou mitológicas, com formas humanas ou de animais, geralmente com expressões de ira, que os navegantes costumam colocar na frente de suas embarcações, para afugentar os maus espíritos. Utensílios como cocho, pilão, gamela e móveis simples e rústicos, também são produzidos artesanalmente. Podemos citar ainda outras produções, tais como: engenhos, moendas, tonéis e carroças. Mas o maior produto artesanal em madeira - contando com poucas partes de metal - é com certeza o carro de bois. E para a pintura em madeira, o ideal é utilizar a linha de pelo de orelha de boi e a linha Confort da Condor. artesanato brasileiro

Agenda

Pintura Artística e Escolar

4 de Agosto de 2018 (Sábado) até 8 de Agosto de 2018 (Quarta-feira)

Mega Artesanal 2018

A Mega Artesanal está chegando! E a Condor, mais uma vez, marcará presença por lá com muitas novidades e atrações especiais. Além dos sorteios de quadros, lançamentos de produtos e outras surpresas, você vai poder aprender novas técnicas com os nossos parceiros. 

ver detalhes ver agenda completa

Você é artista?

Cadastre-se e receba notícias sobre os eventos e cursos da Condor

Cadastre-se aqui!