Implante dentário em diabéticos: saiba quais são os cuidados para manter a higiene bucal impecável

10 de setembro, 2018

comentários
O implante dentário é um procedimento válido para pessoas com diabetes. No entanto, esses pacientes necessitam de cuidados extras, como atenção redobrada durante a escovação, uso diário de fio dental e de enxaguante bucal com flúor e visitas periódicas ao dentista.
 
“A recomendação é que os diabéticos façam a cirurgia no período da manhã, momento em que a taxa de glicose do organismo normalmente está mais baixa. Essa condição minimiza o sangramento. Além disso, é importante que o profissional seja um especialista em implantes dentários e tenha total controle da situação”, esclarece Érika Vassolér, dentista e consultora de higiene bucal da Condor.
 
Ao optar pelo implante dentário, o paciente deve passar por uma avaliação criteriosa sobre o seu estado clínico e de saúde. A diabetes precisa estar rigidamente controlada para facilitar o processo de cicatrização gengival e óssea. Ao dentista cabe solicitar exames de imagem para verificar a viabilidade do implante, e ao paciente é fundamental não omitir nenhuma informação durante este processo.
 
Outra questão que deve ser analisada é a necessidade de enxerto ósseo nos locais específicos dos implantes.  “Embora não tenha a possibilidade do organismo rejeitar o procedimento ou o pino ceder, pode ser que não ocorra a formação adequada do osso nas espiras do implante. Por isso, é essencial manter a saúde bucal em dia”, ressalta a dentista.
 
A calcificação do pino em diabéticos é um pouco mais lenta, principalmente se a doença estiver descontrolada. A hiperglicemia prejudica a cicatrização do osso e dos tecidos moles ao redor do implante. Em alguns casos, esse processo pode demorar até seis meses. O ideal é realizar a limpeza dos dentes suavemente com uma escova macia, com o uso do fio dental e do enxaguante bucal contendo gluconato ou flúor para o combate da placa bacteriana. Outra recomendação é que o cigarro seja evitado. Os fumantes têm mais chances de acumular tártaro e perder massa óssea.
 
A escova mais indicada para ser utilizada após o implante dentário é a desenvolvida especialmente para dentes sensíveis. Ela proporciona uma escovação hipersuave e delicada. A Sensitive possui cerdas cônicas ultramacias, com pontas superfinas, limpador de línguas e cabo emborrachado ergonômico. Além disso, é importante usar o fio dental antes da escovação para remover a placa bacteriana. A nova fita dental da Condor é mais suave e conta com a tecnologia que expande o fio ao usar. 
 
Mesmo com todos os cuidados, algumas complicações causadas pela diabetes podem aparecer. A hiperglicemia altera a quantidade de saliva na boca, aumenta a chance de infecções e problemas fúngicos, provocando, por sua vez, riscos de infecção nas gengivas, boca seca, cáries, feridas que não cicatrizam e até mesmo a possibilidade de perda de um ou mais dentes.
 
“Com a redução do fluxo salivar, a boca perde sua proteção contra os agentes invasores. A saliva tem ação antimicrobiana para a manutenção da saúde bucal. Sem essa defesa e com o agravante da dificuldade de cicatrização, as visitas periódicas ao dentista atuam como medida de segurança”, complementa a dentista e consultora de higiene bucal da Condor.
 
A prevenção é a melhor maneira de evitar o agravamento de doenças. Para pacientes com implantes dentários, a visita ao especialista deve acontecer pelo menos a cada seis meses. Além da limpeza nos dentes e gengiva, os pacientes são submetidos a raio x para verificar se o implante segue no lugar correto. Outra dica importante: caso haja alguma alteração na taxa glicêmica, as idas ao consultório devem ser feitas em um intervalo menor, a cada três meses. diabetes dicas higiene bucal saúde